O tal do FAM!!

Postado em

Recentemente eu mexi em um servidor que estava rodando Qmail em um Red Hat Enterprise 4.
Gosto muito do Qmail, mesmo não sendo GPL..😦
Não sou muito fã de RH mas tudo bem, é linux.. e Viva o Debian.

Acontece que tenho mais experiência com o Qmail no Debian, e nunca tive grandes problemas.. No RH me deparei com um cara chamado FAM, que até então não conhecia muito bem, e por algum motivo razão ou circunstância ele estava dando problemas com o Courier-IMAP. Bom fui pesquisar o que era o tal do FAM.

Segundo o que pesquisei o FAM é seguinte: (Vou colocar em inglês mesmo.)

“FAM, the File Alteration Monitor, provides an API which applications can use to be notified when specific files or directories are changed. It comes in two parts: fam, the daemon which listens for requests and delivers notification, and libfam, a library which client applications can use to communicate with fam.”

Fonte: http://freshmeat.net/projects/fam/

Bom ai que depois de dar uma boa olhada, percebi que o courier-imap era compilado com suporte a esse FAM, então para toda conexão IMAP aberta era o FAM rodava junto nessa conexão o que estava causando o travamento do Courier-IMAP.

A solução para o problema foi a seguinte: Eu compilei o courier-imap sem suporte ao FAM. Para fazer isso não é um parâmetro qualquer, tem que comentar o “define HAVE_FAM 1” dentro do arquivo config.h que está dentro do diretório maildir do fonte do courier-imap. Mas lembrando que tem que fazer isso depois de executar o ./configure com o seus devidos parâmetros.

Talvez não tenha sido a melhor solução, mas foi a solução que funcionou. Caso alguém já tenha feito de outra maneira que pode ser melhor, estou disposto a saber.

Ah,, uma última coisa que pude ver no RH Enterprise ES 4 é que ele não usa o pacote fam e sim um cara chamado gamin, que pelo que vi muito rapidamente ele é um substituto do FAM.

É isso.

Deus Abençoe vocês.

Fui.

Um comentário em “O tal do FAM!!

    Fernando Ike disse:
    1 de outubro de 2007 às 15:16

    O FAM fazia explodir o KDE no Debian pq deixava sempre um processo rodando numa partição que vc quisesse desmontar, como por exemplo, pen-drivers. =/

    No Etch sabiamente fora trocadas as dependências do Gnome e Kde para o Gamim. =)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s